Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Publicações > 2016 > Autonomia e o uso das tecnologias: um estudo comparativo entre os alunos dos cursos presencial e a distância na licenciatura em física
Início do conteúdo da página
Publicações

Autonomia e o uso das tecnologias: um estudo comparativo entre os alunos dos cursos presencial e a distância na licenciatura em física

Publicado: Sexta, 23 de Setembro de 2016, 08h52 | Última atualização em Terça, 29 de Agosto de 2017, 10h36 | Acessos: 511

Este trabalho é parte de uma pesquisa que tem por objetivo conhecer os hábitos de estudo dos alunos da Universidade Federal de Itajubá (UNIFEI). Foram analisados os Fatores Planejamento de Estudo (fator 1) e Uso de Tecnologias (fator 3) do Questionário de Hábitos de Estudo para estudantes universitários, a partir da comparação entre as respostas dos alunos do curso de Licenciatura em Física nas modalidades presencial e a distância, articulada aos estudos da autonomia como característica indispensável ao processo de aprendizado. Foram utilizados como aporte teórico os autores Rogers e Freire para a compreensão do conceito de autonomia e humanismo na educação; e, Coll e Monereo para a articulação dos temas anteriores com o uso de tecnologias na aprendizagem. Podemos identificar que os alunos da educação a distância planejam mais seus estudos e usam mais as tecnologias do que os alunos da modalidade presencial. Isto é um indicativo de que nós, educadores, precisamos pensar em cursos que, não só estimulem a autonomia do aluno, mas que também se estruturem para que estes alunos exercitem esta autonomia. Devemos pensar em ações que possibilitem mais a aprendizagem ativa, autônoma, sobre os objetos de conhecimento, com auxílio das tecnologias e com planejamento de estudos bem estruturados. Algumas possibilidades estão relacionadas à aprendizagem baseada no projeto de materiais autossuficientes e na aprendizagem autodirigida, na aprendizagem baseada na análise de casos e na resolução de problemas, na aprendizagem baseada no trabalho em grupo e na aprendizagem colaborativa, na aprendizagem baseada na representação visual do conhecimento.

Artigo completo em PDF

 

Fim do conteúdo da página