Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Notícias > Moodle Acessível UNIFEI
Início do conteúdo da página

Moodle Acessível UNIFEI

Publicado: Quarta, 13 de Maio de 2015, 12h58 | Última atualização em Quarta, 03 de Agosto de 2016, 11h48

FigurasGaleria2FigurasGaleria2A presença, cada vez mais intensa, dos recursos computacionais na sociedade contemporânea faz da informática um elemento importante no processo de inclusão educacional, social e digital dos indivíduos que possuem qualquer tipo de deficiência. Todavia, para que as Pessoas com Deficiência tenham pleno acesso ao mundo digital, é imprescindível garantir a elas elementos de acessibilidade.

Na Universidade Federal de Itajubá (UNIFEI), tanto no ensino presencial como na modalidade de Educação a Distância (EaD), há um número significativo de alunos com deficiência e que fazem uso diário do Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle. Desse modo, a equipe Multidisciplinar do NEaD/UNIFEI em parceria com o grupo de pesquisa “Núcleo de Estudos em Formação Docente, Tecnologias e Inclusão (NEFTI)” e com apoio da PROEX/UNIFEI, está desenvolvendo um estudo sobre a implementação de recursos de acessibilidade ao AVA Moodle para alunos com Deficiência Visual (DV).

O objetivo da equipe consiste em garantir aos alunos com Deficiência Visual (DV) o acesso e a permanência aos cursos e disciplinas que fazem uso do Moodle na UNIFEI. Além de permitir que eles desfrutem dos recursos e das mesmas condições ofertadas aos demais alunos da instituição, uma vez que “a presença de pessoas com deficiência na Universidade é, pois, um processo interativo, assegurado pelos direitos dessas pessoas à igualdade de oportunidades e à participação social” (MENDES, 1994; OMOTE, 1994; AMARAL, 2000).

Para tanto, este projeto está pautado no conceito de Desenho Universal, cujo objetivo é definir um projeto de produtos e ambientes para ser usado por todos, na sua máxima extensão possível, sem necessidade de adaptação ou projeto especializado para pessoas com deficiência. Além disso, também está sendo utilizado o parâmetro de Modelo de Acessibilidade em Governo Eletrônico (eMAG), que consiste em um conjunto de recomendações a ser considerado para que o processo de acessibilidade de sites e portais do governo brasileiro sejam conduzido de forma padronizada. Também fizemos uso das Diretrizes de Acessibilidade para o Conteúdo da Web (WCGA) que são parte de uma série de recomendações para acessibilidade voltadas para a web, sendo publicadas pela Web Accessibility Initiative do W3C e que consistem em um conjunto de recomendações para fazer com que o conteúdo seja acessível, principalmente para utilizadores com deficiência.

Desenvolvedor:

Lucas Vilela Silva - aluno do curso de Engenharia de Computação da UNIFEI e integrante do “Núcleo de Estudos em Formação Docente, Tecnologias e Inclusão (NEFTI)”.

Apoio Técnico:

Robson Fernando Pereira da Silva e Cláudio Sá -- Analistas de Tecnologia da Informação do NEaD e membros da Equipe Multidisciplinar

Teste de Acessibilidade:

Davi Braga Cruz - aluno do curso de Sistema da Informação da UNIFEI e integrante do “Núcleo de Estudos em Formação Docente, Tecnologias e Inclusão (NEFTI)”.

Designer Instrucional / Web Designer:

Lúcia Carvalho Moreira Dias - Membro da Equipe Multidisciplinar

Orientação Pedagógica sobre os elementos de Acessibilidade:

Profa. Paloma Alinne A.Rodrigues – Coordenadora da equipe Multidisciplinar do NEaD e do grupo de pesquisa “Núcleo de Estudos em Formação Docente, Tecnologias e Inclusão (NEFTI)”.

registrado em:
Fim do conteúdo da página